O investimento foi de R$ 785 mil
Marcelo Martins/ Prefeitura de Santos
O investimento foi de R$ 785 mil


A rede hospitalar de Santos conta com mais 13 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 16 de clínica médica para pacientes covid-19. Os 29 novos leitos entraram em operação no último dia 26 de junho, no Complexo Hospitalar da Zona Noroeste (Rua Agamenon Magalhães s/nº, Castelo), sob gestão própria pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Para a abertura, a Prefeitura investiu R$ 785 mil, sendo R$ 380 mil na reforma de parte do imóvel e R$ 405 mil na compra de equipamentos e mobiliários. Também houve a contratação de mais de 40 profissionais de saúde, entre fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos.
Os novos leitos ficam em área isolada no andar térreo do complexo, com entrada específica pela lateral, onde hoje é feito o acesso das ambulâncias. A entrada principal seguirá voltada para os pacientes e acompanhantes dos hospitais Arthur Domingues Pinto e Silvério Fontes.


Rede

O Sistema Único de Saúde (SUS) da Cidade passa a contar agora com 518 leitos para o tratamento da doença, sendo 172 de UTI, destinados aos casos mais graves. Neste mês de junho, outros 30 leitos de UTI entraram em operação nos hospitais de campanha UPA Zona Leste (15 leitos) e Vitória (5) e na Beneficência Portuguesa (10).

Também há leitos para pacientes covid-19 no Complexo dos Estivadores, Hospital de Pequeno Porte, Afip e Santa Casa (gestão municipal) e no Hospital Guilherme Álvaro (estadual).

Estado repassa 10 respiradores para o Município
O Governo do Estado entregou mais 10 respiradores, nesta sexta (26), no Complexo Hospitalar dos Estivadores, o que vai permitir a abertura de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O hospital conta hoje com 20 leitos de UTI e terá 30 a partir da próxima semana.

Neste mês, o Estado já havia entregue seis respiradores ao Hospital Guilherme Álvaro (estadual) e outros 20 para a rede municipal de Santos, 15 deles foram destinados ao hospital de campanha UPA Zona Leste e cinco para o Vitória.

"Os respiradores são equipamentos muito disputados no mercado e o repasse deles é fundamental para abrirmos leitos de UTI, destinados aos casos mais graves da doença”, explica o secretário municipal de Saúde, Fábio Ferraz. Ao todo, há 313 leitos de UTI na Cidade (hospitais públicos e particulares). No início da pandemia, a ocupação destes leitos era de 80% e, com a abertura dos leitos públicos, atualmente está em 56%.

    Veja Também

      Mostrar mais