O contrato foi assinado em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (6)
Leandro Ordonez/ Prefeitura de Santos
O contrato foi assinado em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (6)



O governo estadual assinou, nesta segunda-feira (06) a ordem de serviço determinando o início dos trabalhos da segunda fase do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Santos, que têm previsão de conclusão em até 30 meses e deve começar neste mês.

Sob a expectativa de transportar 35 mil pessoas por dia, o novo trecho ligará a Linha 1 (a partir da estação Conselheiro Nébias) à Região Central, que passa por processo de revitalização.

Com oito quilômetros de extensão, a Linha 2 dos VLT contará com 14 estações, na proximidade de locais de interesse público como o Mercado Municipal, o Poupatempo e o Terminal Valongo, onde haverá uma estação integrada com o transporte de ônibus. Todas as vias de percurso serão reurbanizadas. Haverá desapropriações em dez pequenas áreas.

Com 2,65 metros de largura e 44 metros de comprimento, cada composição do VLT tem capacidade para 400 usuários. Todos os vagões possuem ar-condicionado e piso baixo. A velocidade varia entre 25 e 80 quilômetros por hora. A estimativa é de que o consumo de energia com este tipo de transporte seja 2,6 vezes inferior em comparação aos ônibus e 5,4 vezes menor em relação aos carros.

A obra será executada pela construtora Queiroz Galvão, que venceu o processo licitatório com a proposta de R$ 217,7 milhões, valor 27,4% abaixo do estimado inicialmente pelo Governo do Estado.

Assinatura

No Palácio dos Bandeirantes, na capital, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa acompanhou a assinatura do documento pelo governador João Doria e falou sobre as perspectivas diante da ampliação do sistema de transportes santista. “Esse é um momento histórico para a Cidade, pela transformação da vida de milhares de pessoas”.

“Em um momento de crise econômica, é cada vez mais difícil haver recursos disponíveis. Governar é escolher. E agradeço pela escolha do VLT de Santos”.

Já o governador mencionou alguns dos benefícios à população. “Vai facilitar e agilizar o transporte de trabalhadores e estudantes, além dos turistas, que poderão conhecer essa belíssima cidade. E vamos gerar mais de mil empregos diretos e indiretos nessa obra, garantindo trabalho para os habitantes do Município. Ganham todos: o meio ambiente, com um sistema de transporte não poluente, e as pessoas, com menos tempo dentro do transporte público”.


Primeiro trecho

A primeira linha do VLT na Baixada Santista começou a operar em janeiro de 2017, em trecho de 11,5 quilômetros, com 15 estações da área continental de São Vicente ao porto de Santos. Entre projetos, obras civis e veículos, R$ 1,6 bilhão já foi investido no sistema.

    Veja Também

      Mostrar mais