Por conta da pandemia, as vistorias ocorreram nas áreas externas das casas e nas áreas comuns dos condomínios
Divulgação/ Prefeitura de Santos
Por conta da pandemia, as vistorias ocorreram nas áreas externas das casas e nas áreas comuns dos condomínios


O mutirão contra o mosquito Aedes aegypti, realizado nesta quarta-feira (8), eliminou 38 focos com larvas nos bairros Centro, Paquetá e Vila Nova de Santos. Os locais contabilizam três casos de dengue e dois de Chikungunya, em 2020, além de outros casos suspeitos dessas doenças que seguem em investigação.

No sétimo mutirão deste ano, realizado pela Prefeitura de Santos, 70 agentes de controle de endemias visitaram 1.663 imóveis e, além dos focos com larvas, eliminaram situações propícias para o acúmulo de água e, consequentemente, a reprodução do inseto, cuja fêmea deposita os ovos em água parada.

Por conta da circulação do novo coronavírus, as vistorias foram realizadas apenas nas áreas externas das casas e nas áreas comuns dos condomínios. Os profissionais usam máscara, luvas e álcool em gel 70%. Os agentes estão identificados com uniforme (colete verde) e crachá.

A equipe de Informação, Educação e Comunicação da Secretaria de Saúde distribuiu material informativo aos pedestres.

Casos

Em 2020, Santos contabilizou 89 casos de dengue e nove de chikungunya. Não há registro de zika neste ano na Cidade. O último caso de febre amarela urbana no Brasil ocorreu na década de 1940. Os seis mutirões realizados anteriormente neste ano em outros bairros da Cidade já eliminaram 380 focos com larvas.

    Veja Também

      Mostrar mais