Para técnicos do Iphan, os destroços pertençam a um navio inglês naufragado 1895.
Marcelo Martins/ Prefeitura de Santos
Para técnicos do Iphan, os destroços pertençam a um navio inglês naufragado 1895.


Os banhistas que caminhavam pela praia de Santos, nesta quarta-feira (22), foram surpreendidos pelos destroços de um navio encalhado, que voltaram a aparecer, próximo ao canal 5, no Bairro Embaré.

A Prefeitura de Santos explica que a baixa da maré fez com que a estrutura, que se assemelha a um casco de navio, composta de pedaços de madeira e metal com mais de 50 metros de comprimento, ficasse exposta, atraindo a atenção das pessoas. Ocasionalmente, partes do navio acabam ficando expostas, mas, nesta semana, a carcaça completa passou a ser exibida.

Ainda de acordo com a Prefeitura, a área, de aproximadamente 900 metros quadrados, está cercada e é monitorada desde 2017, quando apareceram os primeiros destroços da embarcação.

O local foi isolado com barras e cordas de aço, instaladas pela Secretaria de Serviços Públicos (Seserp), para a proteger pedestres e banhistas contra acidentes. Além disso, a medida visa resguardar a estrutura soterrada, que atualmente faz parte de estudos arqueológicos, coordenados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

A Secretaria Municipal de Segurança (Seseg) vigia o local da embarcação por meio das câmeras do Sistema Integrado de Monitoramento (SIM). Para ampliar a visibilidade da área, a iluminação de uma das torres da orla permanece acesa durante toda a noite, sendo desligada somente de manhã, às 6h30.


Século 19

Segundo técnicos do Iphan, é possível que os destroços pertençam a um navio inglês naufragado 1895, o que justifica a preservação do material para trabalhos de arqueologia.

A área é monitorada desde 2017.
Marcelo Martins/ Prefeitura de Santos
A área é monitorada desde 2017.


    Veja Também

      Mostrar mais