As tartarugas estavam em tratamento no Aquário há dois anos.
Divulgação/ Prefeitura de Santos
As tartarugas estavam em tratamento no Aquário há dois anos.


Após dois anos de tratamento no Aquário Municipal de Santos, duas tartarugas-verdes, uma jovem e outra adulta, foram devolvidas ao habitat natural, o mar, nesta terça-feira (28).

Os animais foram vítimas de colisão com uma embarcação e foram encaminhados ao parque, onde receberam cuidados veterinários para cicatrização das feridas e monitoramento da saúde.

Esta foi a primeira soltura realizada pela Secretaria de Meio Ambiente (Semam) neste ano. Da espécie Chelonia mydas, os dois animais pesam cerca de sete e 20 quilos, com carapaça medindo entre 40 e 50 centímetros.

A soltura aconteceu no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, a uma distância de cerca de 40 quilômetros da costa de Santos.

O local é o primeiro parque marinho dentre as Unidades de Conservação do Estado de São Paulo e tem como objetivo assegurar a proteção integral dos ecossistemas marinhos.

“Na soltura, os animais são anilhados pelo projeto Tamar. Trata-se de uma identificação com numeração padronizada, para que possamos fazer o monitoramento desse animal, saber o seu histórico e se já passou por tratamento”, explicou o coordenador do Aquário durante a ação, o biólogo Alex Ribeiro, que estava junto com a equipe do parque, formada por veterinário, auxiliar de veterinária e estagiário de biologia.

Para o secretário de Meio Ambiente, Márcio Gonçalves Paulo, “esse é um trabalho de enorme importância, que muitos dos que visitam o Aquário, por vezes, não têm acesso. É um esforço coletivo, que envolve diversos profissionais que se dedicam de corpo e alma em prol da recuperação desses animais”, afirmou.

Atualmente, o Aquário tem 17 animais da espécie em tratamento. A maioria é resgatada após ingestão de lixo descartado irregularmente no mar e após acidentes com embarcações.

    Veja Também

      Mostrar mais