O delegado seccional explicou que o caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil através das redes sociais.
Reprodução- Página Viver em Santos
O delegado seccional explicou que o caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil através das redes sociais.


A Polícia Civil já identificou o motociclista que agrediu um motorista na divisa entre Santos e São Vicente, nesta quinta-feira (20). A agressão, que ocorreu no semáforo da Avenida Padre Manoel da Nóbrega, esquina com a Rua Quintino Bocaiuva, foi gravada por um outro motorista e circulou nas redes sociais.

Segundo testemunhas, a briga de trânsito aconteceu após supostamente o veículo fechar a passagem do condutor da moto de forma não intencional.



De acordo com o delegado seccional de Santos, Carlos Schneider, o autor das agressões será ouvido e responderá pelos crimes de lesão corporal e dano. A vítima, ainda segundo ele, já prestou depoimento sobre o caso e foi submetida a exame de corpo de delito. O resultado desse exame é que irá determinar a quantificação da pena e também a gravidade do crime cometido pelo autor.



Ainda segundo a Polícia, o motorista não queria registrar o boletim de ocorrência, por receio da situação, mas redes sociais, o filho da vitima se pronunciou por meio da página Viver em Santos:

“Eu também fui impactada ao ver a cena de agressão no trânsito, e muito mais indignada ao saber que a vítima era meu pai. Sei que o trânsito provoca estresse, mas não justifica a agressão. Atualmente, meu pai trabalha como motorista de aplicativo, mas ele já foi motoboy por anos e tem o maior respeito e cuidado com os demais condutores.

Meu pai relatou que hoje pela manhã estava na divisa, sentido São Vicente. Quando foi mudar de faixa, deu seta e avistou o motociclista que estava vindo em alta velocidade. Em seguida, o motociclista se aproximou do veículo do meu pai com insultos e xingamentos. Assim que meu pai reduziu a velocidade e parou no semáforo, o motociclista continuou a discussão, meu pai respondeu e foi agredido.

Graças a Deus ele está bem e sem ferimentos graves, mas ainda assustado com o ocorrido. Já prestamos queixa e estamos sendo orientados."

    Veja Também

      Mostrar mais