Sindicato pede interrupção de atividades após casos de Covid-19 em plataforma da Petrobras
Reprodução/Sindipetro
Sindicato afirma que os casos de Covid-19 começaram no último dia 12 de novembro


Devido a um surto de Covid-19 na plataforma P-69, na Bacia de Santos, o Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista (Sindipetro-LP) pede a interrupção dos trabalhos no local. A Petrobras afirma que está tomando atitudes para conter o problema, mas as operações de extração de petróleo e gás seguem normalmente na unidade.

Leia também: Hospital registra aumento nas internações por Covid-19 em Santos


No local há 140 trabalhadores embarcados e, de acordo com o Sindipetro-LP, desse total, cerca de 25 funcionários testaram positivo para a Covid-19. O primeiro caso foi registrado no dia 12 de novembro, seguido com testes positivos de outros 13 trabalhadores que desembarcaram nos dias 14 e 17 deste mês.


Ainda segundo o Sindipetro-LP, nesta quarta-feira (18), data em que a empresa tinha estipulado que iria desembarcar 11 contaminados por Covid-19, 30 contactantes e que também iria embarcar trabalhadores para recompor postos vagos e uma equipe de esterilização, nada aconteceu.


O Sindicato alega ainda que o Superior Tribunal de Trabalho (STF) reconhece a Covid-19 como acidente de trabalho, seja por doença profissional ou doença do trabalho equiparada ao acidente, e pede o fechamento da Unidade imediatamente.



Petrobras


De acordo com a Petrobras, os colaboradores que manifestaram sintomas, bem como seus contactantes, desembarcaram imediatamente e foram testados em terra, com acompanhamento das equipes de saúde e orientações para isolamento.

A estatal afirma ainda que, de forma preventiva, a companhia testou todo o efetivo a bordo, incluindo empregados próprios e colaboradores de empresas prestadoras de serviços.

“Os profissionais que tiveram teste positivo foram desembarcados e, como medida adicional, todos os contactantes dos casos positivos, mesmo tendo testado negativo, desembarcaram e ficarão em isolamento em terra para posterior repetição do teste”, diz a nota enviada à redação do IG Santos.

As instalações da plataforma passaram por higienização adicional por equipe especializada e foram reforçadas as orientações de distanciamento e prevenção a bordo.

Entre as medidas de prevenção ao contágio estão o período de quarentena com monitoramento de saúde de 14 dias no pré-embarque para todos os colaboradores, avaliação de saúde e testes RT-PCR antes do embarque e, a bordo, uso obrigatório de máscaras, distanciamento entre as pessoas e reforço na higienização.

A Petrobras já realizou mais de 320 mil testes para Covid-19 nos colaboradores de suas unidades próprias em todo o país. A estratégia de ampla testagem possibilita que o diagnóstico do quadro de saúde na companhia seja mais preciso do que o da sociedade em geral, uma vez que mesmo pessoas assintomáticas são identificadas e contabilizadas como casos confirmados.

    Veja Também

      Mostrar mais