Banhistas que passavam pelo local apoiaram o trabalho da Guarda Municipal da cidade
Reprodução
Banhistas que passavam pelo local apoiaram o trabalho da Guarda Municipal da cidade


Mais uma vez a praia de Santos é palco de uma briga entre banhista e a Guarda Municipal da cidade. Dessa vez uma mulher se recusou a usar a máscara de proteção, foi orientada pela GCM que o uso é obrigatório e foi vaiada pelos banhistas que passavam pelo local.

Leia também

Santos chega a 1,7 mil mortos pelo novo coronavírus

No vídeo, que foi divulgado nas redes sociais nesta terça-feira (08), e teria sido gravado na manhã do último sábado (05), é possível ouvir a banhista alegando que o trabalho da guarda era ‘sujo, indigno e imoral’.

A mulher alegava, enquanto gravava o vídeo, que a ação era abuso de autoridade e ilegal, porém o uso obrigatório da máscara está previsto em decreto municipal e é passível de multa.

Você viu?

O que a banhista não esperava é que a população reagiria contra a ação dela. Todos que passavam pelo local gritavam para que ela respeitasse a lei e usasse a máscara. A mulher foi chamada de “egoísta” e “bolsominion”. No vídeo a mulher ainda pedia para que o vídeo fosse viralizasse em todo o Brasil, e foi parar na página do instagram Brasil Fede Covid que denuncia eventos irregulares e casos como esse.


Apesar de toda a ação, a banhista foi autuada em R$ 300 por se recusar a usar a máscara. A penalidade está prevista no Decreto 9263/21.

Caso do desembargador

Em julho de 2020 o primeiro caso de banhista que não quis respeitar a lei teve repercursão nacional. O desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Eduardo Siqueira foi flagrado sem máscara na praia de Santos , e chamou o guarda municipal que lhe pediu para colocar a máscara de "analfabeto".

Siqueira chegou a rasgar a multa que lhe foi entregue por não usar a máscara e ainda ligou para o Secretario de Segurança da cidade, Sérgio Del Bel, para que ele pudesse intervir no caso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários