Atleta já percorreu 6,4 mil quilômetros
Francisco Arrais/Prefeitura de Santos
Atleta já percorreu 6,4 mil quilômetros


Navegando há quase três anos e primeiro brasileiro prestes a remar toda costa do Brasil de caiaque oceânico , em expedição de oito mil quilômetros, o canoísta Adelson Rodrigues , 60 anos, desembarcou em Santos . Ele foi recepcionado pelo público nas areias da Ponta da Praia, durante evento realizado pela Secretaria de Esportes (Semes).

Adelson iniciou o desafio em 17 de fevereiro de 2020, em Oiapoque (AP), e navega rumo ao Chuí (RS), no extremo sul do País. Agora, após 6,4 mil km percorridos, o educador físico acaba de aportar em Santos, cidade que o acolheu durante a juventude, entre os anos 1978 e 1982. Em solo santista, morou no Embaré, trabalhou em um armazém no Centro Histórico e iniciou sua carreira de triatleta.

“Tenho um carinho muito especial por Santos. Foi nessa terra que comecei minha vida como triatleta, participando inclusive de muitas provas. Esse carinho das pessoas é o que me move. Não é comer ou dormir em determinado local, mas sim a energia que cada um transmite pra mim durante o desafio”, contou o multiatleta, nascido em Cananeia (SP) e com mais de 200 provas de triatlo e 44 maratonas no currículo. A parada na cidade santista aconteceu nesta quarta-feira (03).

Praticante de esportes desde criança, Adelson é apaixonado por atividades aquáticas. Já foi campeão de natação em águas abertas por cinco vezes no Rio Juquiá (SP), além de ter nadado 70km de Castilho (SP) a Panorama (SP), pelo Rio Paraná. Foi campeão 35 vezes em provas de aquathlon e participou, ainda, de três Ironman (Brasil, Espanha e África do Sul).

Canoísta foi oficializado padrinho do projeto Ka Ora

Com tantas competições e números expressivos na bagagem, o canoísta não se assusta com o desafio pela costa brasileira. Para ele, a maior dificuldade da expedição é fazer com que as pessoas compreendam a dimensão do seu projeto. “Remar por tantos quilômetros não é uma tarefa, mas um grande prazer. Meu maior desafio é superar dificuldades estruturais em recepções pelo Brasil, fazer com que o público entenda a grandiosidade dessa proposta”, concluiu Adelson, que foi recepcionado em Santos pelo comandante da Capitania dos Portos, o capitão de mar e guerra Robledo de Lemos Costa e Sá.

Ainda durante a cerimônia na Ponta da Praia, Adelson foi oficializado como padrinho do projeto santista Ka Ora, academia esportiva que atende mulheres com câncer de mama. O canoísta permanecerá em solo santista por 15 dias e, em seguida, parte rumo a Mongaguá, seu próximo ponto de parada.

Com 1.600km a serem percorridos até o Rio Grande do Sul, a previsão é de que Adelson termine o desafio em dezembro deste ano. Para mais detalhes sobre a expedição, há a página no Instagram @expedicaooiapoquechui.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários